quinta-feira, 13 de julho de 2017

Saudades de Paulo Moura

Ganhador do Grammy pelo disco Pixinguinha: Paulo Moura e os Batutas, o musico Paulo Moura tem mais de 40 discos lançados desde 1956. Paulista de São José do Rio Preto, onde nasceu em 15 de julho de 1932, tocava clarinete desde os 9 anos, mas era também trompetista, saxofonista, compositor e arranjador.

O músico, considerado um dos maiores instrumentistas da música brasileira, tocou com grandes nomes como Ary Barroso, Tom Jobim, Maysa, Elis Regina, Milton Nascimento e Raphael Rabello.

É difícil citar todos um disco melhor do saxofonista, mas é impossível não lembrar de trabalhos antológicos, como os álbuns gravados com a pianista Clara Sverner (foto abaixo); Paulo Moura Interpreta Radamés Gnattali, de 1959; Confusão Urbana, Suburbana e Rural, de 1976; Mistura e Manda, de 1984; Dois Irmãos, de 1992, com Raphael Rabello; Wagner Tiso e Paulo Moura, de 1996; K-Ximblues, de 2001, em homenagem à obra do genial e pouco lembrado saxofonista e compositor K-Ximbinho; Dois Panos Pra Manga, de 2006, com João Donato; e El Negro del Branco, de 2004, com Yamandu Costa.



Em 2001, é lançado o livro Paulo Moura, um Solo Brasileiro (Editora Casa da Palavra), que traz uma entrevista inédita, fruto de uma série de conversas com sua esposa, a escritora e psicanalista Halina Grynberg, que compilou as entrevistas e as transformou nesta obra, que inaugura a primeira ação do Instituto Paulo Moura, em prol da música instrumental brasileira. O livro acompanha o CD Fruto Maduro, produzido pelo músico André Sachs, Clique aqui para saber mais sobre o instituto.

Em 2013, o diretor Eduardo Escorel lança o documentário Paulo Moura - Alma Brasileira, que mostra a trajetória musical e biográfica do músico. O compositor e instrumentista está associado à história do choro brasileiro. Para captar a essência da sua obra, o documentário economiza nos depoimentos e lança mão da música e do sentimento - presente, especialmente, na voz da viúva Halina Grynberg.

Trechos “rejeitados” de entrevistas e momentos silenciosos gravados em turnês internacionais ajudam a trazer à tona o lado menos conhecido do artista e formar um retrato mais completo do artista. A produção reúne mais de 40 anos de registros filmados e escritos.

O longa apresenta 25 canções do repertório do músico, enquanto o próprio Paulo Moura dá mais detalhes sobre sua história pessoal e no cenário musical brasileiro. O trailer do documentário pode ser visto aqui.

Paulo Moura morreu aos 77 anos, no dia 12 julho de 2010, três dias antes de completar 78 anos. Você pode encontrar mais informações sobre o músico, como partituras, fotos e outras curiosidades clicando aqui.













Nenhum comentário:

Postar um comentário